GRUPO DE ESTUDOS EDUCAÇÃO & MERLEAU-PONTY (GEMPO)

Portal do GPMSE/GEMPO: Estudos Educação e Merleau-Ponty

SEMIEDU2013 – Página Provisória

Assembléia de S. Leopoldo RS

SEMIEDU2013 EM CONSTRUÇÃO

PROPOSTA DA UNIVERSIDADE  POPULAR DOS MOVIMENTOS SOCIAIS

Beleni,

Nossa proposta era de fazer uma oficina da UPMS, antecedendo o SEMIEDU, aproveitando a participação de Boaventura, pelomenos no último dia. conversei rapidamente com Débora  sobre isso, a sugestão dela é que façamos com os nossos professores. Acho legal que eles participem, mas é fundamental a participação dos Movimentos Sociais. Precisamos pensssar um projeto, para os recursos, acho que passos pode ajudar, na articulação. Vamos conversando.

Abraços

Rosângela Carneiro Góes

 

Introdução

Nos dias 22, 23, 24 e 28 de janeiro de 2012, eu (Rosangela Góes) e o Prof. Rui Leonardo Souza Silveira (gerente da Educação do Campo), participamos de uma oficina da Universidade Popular dos Movimentos Sociais em Canoas /RS. Foi uma experiência muito intensa e densa de dialogo entre diferentes saberes de diferentes povos. De uma convivência de dez dias muito harmoniosa, de trocas e cuidados, de conhecimentos e fazeres. A proposta  que tem como base as orientações do sociólogo Boaventura de Souza Santos, conta com uma equipe de intelectuais orgânicos de diferentes países e movimentos, nasce no Fórum Social Mundial de 2003, e tem sido desenvolvida em algumas cidades, sendo esta oficina a primeira com abrangência continental. E é esta experiência que gostaríamos de partilhar com vocês. Além de mim e do prof. Rui, tivemos mais dois participantes de Mato Grosso, Luzia Apodonepá de Oliveira, da etnia Umutina,  Dutsã Toptiro da MOPIC-WARÃ  etnia Xavante.  Além desses participaram intelectuais e representantes dos Movimentos Sociais de  17 países divididos em um primeiro momento em três oficinas que se juntaram no dia 24. Nós de Mato Grosso participamos da oficina dois cuja temática foi Interculturalidades, indígenas, quilombolas e dissidências sexuais. A oficina um tinha como temática, segurança, agroecologia, economia solidária e economias populares e a terceira, madre terra, segurança alimentar.

: O Que é a UPMS

  • A UPMS não é um procedimento novo. Insere-se numa longa tradição de educação popular onde o nome de Paulo Freire é uma referência para todos.  Algumas entidades e intelectuais participantes do FSM concluíram que não será possível alcançar a justiça social global sem uma justiça cognitiva global. A Universidade Popular dos Movimentos Sociais – Rede Global de Saberes é um espaço de formação inter-cultural que promove um processo de inter-conhecimento e auto-educação com o duplo objetivo de aumentar o conhecimento recíproco entre os movimentos e organizações e tornar possíveis coligações entre eles e ações coletivas conjuntas.
  • Constitui um espaço aberto para o aprofundamento da reflexão, o debate democrático de idéias, a formulação de propostas, a troca livre de experiências e a articulação para ações eficazes, de entidades e movimentos sociais locais, nacionais e globais que se opõem ao neoliberalismo e ao domínio do mundo pelo capital e por qualquer forma de imperialismo.
  • O público alvo da UPMS é composto por ativistas e dirigentes dos movimentos sociais, membros de organizações não governamentais, bem como cientistas sociais, investigadores e artistas empenhados na transformação social progressista.
  • A UPMS funciona através de uma rede de interações orientada para promover o conhecimento e a valorização crítica da enorme diversidade dos saberes e práticas protagonizados pelos diferentes movimentos e organizações.
  • Sua essência está no seu caráter inter-temático, forjado através da promoção de reflexões e articulações entre diferentes movimentos como os feministas, operários, indígenas, estudantis, ecológicos e etc.

 

Realizadores

São realizadores todos os envolvidos nas oficinas e na constituição de uma rede global de saberes

Objetivos

  • levar ainda mais longe a eliminação da distinção entre educadores e educandos dado que todos os participantes são portadores em pé de igualdade de conhecimentos válidos;
  • ter uma vocação política vincada dado que ocorre entre participantes politicamente organizados em movimentos e associações;
  • ter uma vocação para promover ações coletivas em que participam movimentos com agendas relativamente diferentes (a política  intermovimentos).

Funcionamento

A UPMS funciona basicamente sob a forma de oficinas ou de workshops com a participação de ativistas e líderes de movimentos sociais e cientistas sociais/intelectuais/artistas.

Além das oficinas no decorrer de sua existência pretende-se criar uma rede de geração de conhecimentos plurais a partir de temas e problemas considerados relevantes, mas sobre os quais há pouco conhecimento e compreensão.

Todo este trabalho tem sido feito com base em dois procedimentos metodológicos básicos:  tradução intercultural e interpolítica e a ecologia de saberes.

Tradução Intercultural

  • Segundo Boaventura de Sousa Santos a tradução intercultural visa aumentar a inteligibilidade recíproca e necessária entre movimentos, organizações e pesquisadores sem destruir a autonomia dos movimentos, suas linguagens próprias e conceitos, observando o que os divide e o que os une para tentar organizar ações coletivas.
  • Boaventura de Sousa Santos argumenta que, muitas vezes, o que separa os movimentos não são questões de conteúdo, mas antes de linguagem, de diferentes tradições históricas e culturais de luta. Refere-se a combinação e enriquecimento mútuo de conhecimentos acadêmicos solidários e conhecimentos nascidos na luta social.

Ecologia de saberes

  • Assenta-se no reconhecimento da pluralidade de saberes heterogêneos, da autonomia de cada um deles e articulação  horizontal entre eles.
  • Na ecologia de saberes cruzam-se saberes e ignorâncias.

Momentos da oficina

Trata-se de uma mera proposta de organização. Não há uma metodologia fechada e muito menos uma receita.

  • Apresentação
  • Geração de confiança – reconhecimento
  • Debate em grupo
  • Identificação da zonas de convergência
  • Identificação das diferenças
  • Identificação dos saberes e ignorâncias recíprocas
  • Plataforma comum
  • Mapeando as ausências. Quais movimentos sociais estiveram ausentes nesta oficina e dela deveriam ter feito parte?

Nossa proposta;

Experienciar a metodologia da oficina na SUDE, para nos conhecermos, reconhecermos, percebermos nossas especificidades, convergências e o que ainda está ausente de nossa prática educativa.

 

Professor Passos a TODOS E TODAS:

A proposta acima é bem-vinda, mas há um ingrediente importante! Vamos tentar nos articular efetivar a presença do Professor Boaventura de Souza Santos em nosso evento. Temos tido dificuldades de contato, pouco direto com ele. E muitas promessas de possibilidade de efetivar aquilo que seria uma efeméride, não apenas sua presença, mas a articulação com Boaventura no muito que ele tem de inspirador ao que ocorre entre nós, e que ele desconhece em experienciar ao vivo. Vamos buscar contatos possíveis?

Um abraço PASSOS.

 

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*